Um trabalho ou um Propósito

Assistimos nestes dias a uma revolução silenciosa (mas de dimensão mundial) na forma como as pessoas vêm o trabalho. Se os benefícios financeiros constituem a motivação mais antiga no mundo do trabalho, para as novas gerações, valores mais altos se levantam.

Muitos são hoje aqueles que largam bons salários e elevadas posições no mundo corporativo afim de realizarem um trabalho com mais sentido. Mais tempo para aquilo que realmente importa, ganhar dinheiro fazendo aquilo que mais se gosta, decidir os seus próprios horários de trabalho ou poder trabalhar a partir de qualquer parte do mundo são apenas algumas das razões que levam cada vez mais gente a dar “o grito do Epiranga”.

Mas o que causa afinal esta mudança drástica nos valores das ultimas gerações? Eu arrisco responder: a busca pela felicidade!

Se para as gerações anteriores, ter um bom salário, um determinado “status social”, um carro de alta gama ou roupas de marca eram sinónimo de felicidade, estas novas gerações parecem preocupar-se mais com o “ser” do que como o ”ter”. Talvez tenhamos percebido que a felicidade associada a factores externos depende apenas e exclusivamente deles o que significa que quando esses factores desaparecem (perda de emprego, perda do poder de compra…) a felicidade desaparece com eles!

Penso que as novas gerações buscam uma felicidade intrínseca e portanto independente do que se passa no exterior. Eles desapegaram das aparências, do que os outros pensam deles e até da comparação com o “vizinho do lado”. Nada parece importar mais para estes jovens do que viverem fazendo aquilo que os faz realmente felizes!

Este movimento jovem contrasta com as elevadas taxas de depressão e fadiga córnica (burnout) associadas ao trabalho nos países mais desenvolvidos da Europa. Aqui, muitos são aqueles que, sentindo-se insatisfeitos como o seu trabalho, não ousam a mudança!

Costumo dizer que essas pessoas habituaram-se a viver no desconforto das suas zonas de conforto. Elas preferem permanecer num campo conhecido, onde tudo está sob controle, onde todo o risco é calculado ou mesmo inexistente, mesmo que isso signifique se sentirem infelizes todos os dias!

A mudança ocorre quando o desconforto se torna realmente insuportável como é o caso de uma depressão ou de um despedimento! De repente, as pessoas sentem não ter mais nada a perder e dão o salto, correm o risco, aventuram-se no desconhecido e confiam na vida, sem paga ou GPS!

Sentes-te infeliz? Queres mais da vida? Então experimenta, faz as coisas de maneira diferente. Lembra-te que o caminho não aparece feito, o caminho a gente acha! Lembra-te que a vida não acontece, a vide a gente inventa! E por favor, POR FAVOR; não fiques aí amedrontado questionando-te “Ah e tal e se me engano?”. Existe lá engano maior do que esperar algo diferente da vida fazendo o mesmo de sempre!?

Comentários
  • Carolina
    Responder

    Li este texto e pensei: Leu os meus pensamentos!

    Incrível como em alguns parágrafos conseguiu descrever exactamente o que sinto…

Deixe um Comentário