Quando a Vida me surpreende (e a surpresa tem sabor amargo)

Assumir a responsabilidade quando a Vida corre no mesmo sentido que as minhas expetativas é tarefa fácil. O desafio surge quando a Vida me surpreende e não acontece da forma como eu previra ou idealizara.

(Sendo muito honesta: esperar que a Vida aconteça sempre como eu previ ou planeei é muito imaturidade emocional né?)

Nessas alturas, quando a realidade que estou a viver não é bem aquela que eu gostaria, assumir que eu própria co-criei essa realidade é tudo menos saboroso.

Como assim, eu co-criei um trabalho onde não sou feliz? Como assim, eu co-criei este relacionamento abusivo? Como assim, eu co-criei esta situação financeira? Como assim, eu sou responsável pelas coisas “más” que me têm acontecido?

É… sair da posição de vítima, em que acredito que as coisas me aconteceram a mim (coitadinha!), para a posição de responsável é o verdadeiro processo de adultização.

Tornar-se adulto não tem nada a ver com ficar-se mais velho. Tornar-se adulto tem a ver sim com crescer-se em maturidade emocional de forma a assumir a responsabilidade consciente pelas minhas próprias escolhas. Escolhas que, por sua vez, co-criaram a realidade que vivo neste momento, seja ela doce ou amarga.

Ser adulto é olhar de frente para a minha realidade atual e questionar-me: que escolhas minhas me fizeram chegar aqui? O que ganhei quando aceitei certas condições ou fiz certas escolhas? Que atitudes e comportamentos meus colaborarem para esta realidade que vivo agora? Onde me des-responsabilizei? Quando coloquei o meu poder noutras mãos que não as minhas?

Ser adulto é responder a estas questões com muita honestidade, mesmo que a Verdade seja pouco nobre e  nos custe a assumir.

Só assim, a partir desta postura, é possível co-criar um novo caminho, desta vez com maior consciência, com mais Verdade. Só assim, a partir desta postura, é possível encontrarmos soluções e não “pensos rápidos” que não fazem mais do que camuflar uma realidade que continua ali.

A Vida vai sim surpreender-nos muitas vezes e nessas alturas teremos uma escolha a fazer: ou escolhemos vitimizar-nos, repassando a situação uma e outra e outra vez em nossas mentes como auto-flagelação e ficando presos ali, àquele momento OU escolhemos “agarrar o touro pelos cornos” percebendo que parte de nós ajudou a criar aquela situação e colocando o foco na realidade doce que queremos viver. Uma postura torna-nos passivos e amargurados; a outra, torna-nos pró-ativos e de bem com a vida. 

“Ah mas eu não co-criei a doença da minha mãe” ou “eu não co-criei o acidente do meu pai”… É, talvez hajam situações que saem totalmente fora do nosso controlo mas o problema não está, de facto, na situação em si e sim na forma como eu reajo em relação a ela.

Lembro-me de um amigo chegar a casa e receber da mãe a notícia de que o pai se tinha suicidado. Ele pegou numa garrafa de vinho para celebrar; afinal, o pai vivia há anos falando do seu profundo mal estar e do seu desejo de não viver mais. 

O meu amigo celebrou e seguiu caminho. Outra pessoa teria ficado agarrada à situação, revivendo 1000 vezes algo que acontecera apenas uma vez. O problema nunca é a situação em si – que podemos controlar ou não – mas a forma como reagimos a ela – e aí, o que fazemos com o nosso poder, é da nossa total responsabilidade, queiramos ou não.

Então o meu convite é esse: que olhes para a realidade atual a partir dessa postura honesta de adulto responsável e co-criador e que, a partir daí, te foques em co-criar uma nova realidade, mais consciente, mais Verdadeira e mais saborosa.

Mostrar 2 comentários
  • Ser um Ser
    Responder

    Estes são temas que acho bastante interessante e estou a aprender muito! Conheci teu o blog através de um artigo da madebychoices, que também passei a conhecer hoje. Estou a adorar! Certamente vou seguir, porque conhecer a nós próprios, evoluir e ajudar os outros, é vida.

    • Sofia de Assunção
      Responder

      Olá Vitor. Muito obrigada pelo teu comentário. Também sinto o mesmo: evoluir, crescer enquanto seres humanos é Vida. E se pudermos apoiar outros nessa evolução, então a Vida vem com um bónus muito saboroso. Muito sucesso com o teu blog e que continues a expressar a tua essência única através dele.

Deixe um Comentário