Musas Podcast T. 2 – Episódio 6 com Inês Gaya – A Beleza De Ser Real

Descrição do episódio

Ela é psicóloga, terapeuta, professora e autora. Trabalha com o sagrado feminino, respiração consciente, woman rebirth e ainda dá formação online de guardiãs de círculos femininos.

Hoje trago-te a Musa Inês Gaya, para mim a Mestra do sagrado feminino em Portugal.

Voltamos a conversar na próxima 4ª feira.

Um beijinho e até lá,
Sofia

SEGUE A NOSSA MUSA:

REFERÊNCIAS MENCIONADAS NESTE EPISÓDIO:

(Episódio editado por Fátima Teixeira).

Mostrar 2 comentários
  • Alexandra
    Responder

    Mais uma conversa inspiradora.
    Tantas coisas que me tocaram, uma delas foi perceber que círculo não tem de ser só com mulheres, pois tinha a crença de que só poderiam ser de mulheres e infelizmente associava a mulheres ou a solteiras, ou a que queiram ser mães, é deu para perceber que é mais do que isso.
    Outra coisa foi a mensagem partilhada sobre a de conhecer a pessoa pessoalmente quando já se tinha uma imagem feita dela. É um desafio. Aconteceu me à pouco tempo com alguém que conhecia o trabalho e só depois conheci a cara. Fiquei horrorizada, pois nem acreditava que aquela pessoa podia ser tão “normal” para alguém que transmitia mensagens tão bonitas. Refleti sobre o assunto e percebi que fisicamente aquela pessoa me fazia lembrar Eu.

    • Sofia de Assunção
      Responder

      Olá Alexandra, muito obrigada por partilhares aquilo que este episódio de trouxe. Fico muito feliz por saber que as partilhas da Inês te trouxeram novas perspetivas sobre os círculos de mulheres. Eu também estava (e estou ainda!) com alguns preconceitos em relação à questão mas vou ampliando as minhas perspetivas. E quanto à imagem que criamos de outras pessoas, para mim, tem sido uma grande revelação. Perceber que mulheres que eu idealizo são “normais” como eu tem-me inspirado a ser mais eu mesma, tem-me inspirado a ousar mostrar-me mais, tem-me apoiado a confiar mais em mim e no meu caminho, tão único e especial quanto o de qualquer outra pessoa. Percebo que as pessoas que eu coloco num pedestal estão, no fundo e somente a trilharem o seu próprio caminho sem se limitarem, sem se julgarem, ousando serem quem são. Um grande beijinho e gratidão mais uma vez pela tua partilha <3

Deixe um Comentário